domingo, 4 de maio de 2008

JUDEE SILL judee sill (1971) (USA)


Judee Sill nasceu em 1944, em Oakland, Califórnia, começou a tocar piano aos três anos de idade, e teve uma vida tumultuada só comparável a de Roy Orbison, perdeu o pai e o irmão precocemente, sua mãe alcoólatra, casou-se com Ken Muse, responsável pelas animações dos desenhos do Tom & Jerry, uma pessoa de personalidade autoritária, o que ocasionou desavenças entre eles. Judee Sill passou a andar com pessoas de certa forma desajustadas, aguçando seu temperamento rebelde e explosivo levando ao seu envolvimento com pequenos furtos e até prostituição para comprar drogas, conseqüentemente veio à prisão e internações em reformatórios e clínicas de recuperação. Dessas internações surgiu o contato com a música, como forma de terapia, e serviu de fuga para seus problemas consolidando o seu talento ao violão e piano, também o toque “gospel” e a influência erudita, a culpa e a reparação, começando assim a compor e a tentar uma recuperação pessoal.
Aos 19 anos cruzou os Estados Unidos com duas amigas, o que a aproximou da música e a apresentou a David Geffen que ficou admirado com o seu talento, contratando-a para a Asylum Records. Seu forte carisma e suas belas canções chamaram a atenção de Graham Nash, que produziu o seu primeiro single com a canção “Jesus Was a crossmaker”, lançando assim, seu primeiro álbum em 1971 e levando o seu nome a ser aclamado pela crítica, mas com pouco apelo comercial e popular. Perfeccionista, Judee trabalhava em cima de uma canção por meses, e seu trabalho tornou-se reconhecido e regravado por grupos com os Hollies, Turtles entre outros. Esse reconhecimento pela crítica e outros músicos a levaram a lançar seu segundo álbum em 1973, com belos arranjos orquestrais e demonstrando seu grande talento musical com sua voz celestial e límpida encharcada em uma folk music emocional e de rara qualidade, o ápice do seu processo criativo.
Mas assim como o primeiro álbum, foi muito bem aceito nos meios musicais, mas teve poucas vendas e sua fama foi se apagando, o que a levou a um total desaparecimento do cenário musical, levando-a a uma depressão profunda e conseqüentemente um retorno às drogas pesadas. Essa relação com as drogas e um acidente automobilístico, resultou em sua morte em 1979 por overdose de cocaína e álcool, aos 35 anos, de forma precoce e calando assim, um raro talento só comparável a Nick Drake, Joni Mitchell e Carole King.


Ouça: Judee Sill


download: Heart food

Nenhum comentário: