domingo, 18 de outubro de 2009

JIMMY SCOTT holding back the years / Dream (USA)


"Conheci Jimmy Scott através do notável compositor Doc Pomus. Já ouvia falar dele faz anos. Durante uma reunião após a morte de Doc, Jimmy cantou. Ele tem uma voz de anjo e pode quebrar seu coração.Ele cantou naquele dia e em vários outros. Eu ouvi e até cantei com ele algumas vezes desde então. Aqui está o cantor dos cantores, se isso significa algo pras gravadoras. Ouvir Jimmy é como ter diante de você um coração que canta. A experiência de vida e a expressão artística cantam atráves dele e nos faz parceiros em sua incrível paixão. Eu o amo e nunca quero dizer adeus. Quando a música acaba e Jimmy canta sua última nota, voltamos ao mundo como ele era antes. Não tão lindo, não tão apaixonado. E apenas podemos esperar para que ele cante de novo e nos leve ainda mais alto."  "LOU REED"



Jimmy Scott era de uma família pobre e pai alcoólatra, tinha a síndrome de Kallmann, em decorrência da qual seu corpo produzia uma quantidade reduzida de testosterona, o que alterou o seu crescimento, seu olfato e influenciou a sua voz, deixando-o com um estranho timbre de soprano. Jimmy canta uma música composta por David Lynch no episódio de encerramento do seriado Twin Peaks, onde ele aparece no Salão Negro.
Após cantar no funeral de um amigo, pela primeira vez em décadas, e ter sido reconhecido por Lou Reed, foi apresentado a Lynch que resolveu chamá-lo para participar no seriado. Esse fato marca a volta de Scott, que tivera um longo período fora dos palcos, frustrado com o fracasso, durante o qual trabalhou como funcionário em um hospital e ascensorista de elevador. Hoje, ele continua cantando (e encantando) com 84 anos.
Álbuns:
Holding Back the Years(1998)
deleted by request....
Dream (1994)

2 comentários:

Marco Stecz disse...

Não sou muito fã de Jazz ou Blues mas esse depoimento do Lou Reed me deixou curioso sobre esse músico.

Gildo Abilio disse...

Sou fanatico de vocal jazz e sempre a procura de coisas novas. Assim, após ouvir um CD dele num centro comercial levei por gostar do estilo de vocalização mesmo sem saber quem era o genio que cantava. Ouvi tantas vezes o tal disco mas sempre duvidoso sobre o nome e o genero do cantor pois o timbre de soprano parecia me mais femenino e contrastava profundamente com o nome Jimmy até que li da doença e mais tarde vi a sua biografia. De facto é um genio de Jazz que a historia foi ainda a tempo de resgatar (como é que um cantor daquele nivel ficou anos como operador de elevador num hospital?). Sua biografia lembra a saga dos cubanos de "Buena Vista Social Clube" que igualmente foram esquecidos durante anos e quase já velhinhos resgatados para o sucesso mundial. Pena que nós em Africa (Moçambique no meu caso) não tenhamos o prazer de ver ao vivo este tipo de génios
Gildo Sibumbe