terça-feira, 8 de abril de 2008

SWANS "The burning World" (1989) (USA)

Eu sempre achei mais interessante o trabalho acústico do Swans do que aquela linha mais industrial que o grupo apresentava, acho que pela pressão de gravar por uma grande gravadora na época (MCA), eles amaciaram um pouco as suas vertentes barulhentas, e realizaram um dos discos primorosos da sua carreira. Com o nova-iorquino Bill Laswell ajudando a Michael Gira e Jarboe na produção, e uma penca de convidados nos diversos instrumentos, o Swans construiu uma verdadeira obra-prima em sua carreira. A imagem complexa, mítica e lírica do grupo, o caminhar entre o industrial e a world music, o barulho e folk songs, fazem do Swans um dos grupos mais inovadores em sua época. Como detalhe, a arte da capa do álbum, e ouça com atenção as canções Saved, The river that runs with love won´t run dry e Can´t find my way home de Steve Winwood.

2 comentários:

esquizofrenia disse...

Mandou muito bem, não conhecia esse trabalho do Swans e outro dia mesmo me peguei procurando disco deles. Se tiver mais coisas legais da banda, favor postar, rs! Abraços!

esquizofrenia disse...

Já ouvi o disco, adorei, fui ler a resenha no AllMusic Guide e lá eles metem o pau no disco, hahaha! A própria banda não curte. Por isso que não devemos confiar em ninguém, a não ser nos camaradas que tem gosto parecido com o nosso, hehe. ;-)

Aliás, ontem recebi um pacotinho da Plastilina Records, do Peru. Eles têm uma promoção, 30 dólares por 3 CDs (correio incluso). Pechincha. Recomendo coleta dos singles St. Christopher, Second-Hand Furniture (excelente banda jangle sueca) e Occasional Flickers (da Grécia).